Na véspera do Copom, PT ataca alta do juro

Para Executiva Nacional, aumento da taxa Selic pode ?perturbar a execução orçamentária?

Vera Rosa e Tânia Monteiro, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

16 de abril de 2008 | 00h00

Na véspera da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre a taxa de juros, a cúpula do PT tomou uma atitude "preventiva". Após uma reunião de três horas, a Executiva Nacional do PT aprovou ontem nota em que manifesta sua discordância com a "possibilidade" de o Copom elevar os juros diante de "supostos sinais" de aumento da inflação."Os dados da economia brasileira apontam para o crescimento das taxas de investimentos acima do crescimento da demanda, o índice projetado de inflação está muito próximo do centro da meta e não há indicações de escalada dos preços administrados", diz o texto do PT. O documento afirma que o custo da elevação da Selic sobre a dívida pública poderá "perturbar a execução orçamentária".O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, criticou as pressões sobre o Copom. "O Banco Central tem feito excelente trabalho nesses cinco anos e é bom que eles (Copom) decidam sem esse tipo de pressão, sem constrangimento." E brincou: "Estamos todos com TPC, Tensão Pré-Copom."Para o deputado José Eduardo Martins Cardozo (SP), secretário-geral do PT, " o aumento da Selic só prejudica o crescimento". O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu disse em seu blog que "a dupla BC-Copom vai colocar o pé no freio e deter o crescimento da economia, mesmo sem comprovação empírica de que isso é necessário".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.