Nada indica que demanda trará inflação, diz ministro

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Miguel Jorge, acredita que os investimentos que vêm sendo feitos na economia afastam o risco de o aumento da demanda gerar pressões inflacionárias. Para Jorge, "vai dar tempo" de os investimentos maturarem e expandirem a oferta no ritmo necessário para atender à demanda.Em entrevista hoje no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi), o ministro ressaltou o aumento da produção e de importação de bens de capital, máquinas e equipamentos, que deve gerar aumento da capacidade produtiva. Ele destacou a "alta qualidade" das importações, em que os bens de capital têm destaque.De acordo com o ministro, "nada indica" que a expansão da demanda comprometa os preços no futuro. "O aquecimento da demanda, ao contrário do que tinha acontecido em períodos anteriores, é um crescimento sustentado", disse. Jorge ressaltou que o País cresce há 14 trimestres."O crescimento tem sido sustentado na produção da indústria e no consumo. Não se trata de ''feitiçaria'' que faz com que em um determinado momento aumente muito o consumo e em outro momento o consumo caia porque precisou aumentar juro ou precisou conter a demanda", afirmou.

ADRIANA CHIARINI, Agencia Estado

09 de outubro de 2007 | 12h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.