"Nada muda na política econômica", reitera Mantega

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, voltou a garantir no final da tarde desta segunda-feira que "nada muda na política econômica" brasileira em função da sua nomeação para comandar a equipe econômica em substituição ao ex-ministro Antonio Palocci. Ao abrir uma exposição de 45 minutos para uma platéia recheada de economistas e executivos do mercado financeiro na 47º Assembléia de Governadores do BID, seguida de uma sessão de perguntas e respostas, Mantega disse que aproveitaria a oportunidade para dirimir possíveis dúvidas sobre a continuidade da política econômica. Segundo o ministro, não haveria mudanças porque a política econômica brasileira não é decisão de um ministro isoladamente, mas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "A política econômica não deve ser mudada porque deu bons resultados", afirmou, garantindo que o Brasil já iniciou um ciclo de crescimento sustentado que vai durar muitos anos. Na longa exposição, Mantega fez um histórico dos principais indicadores da economia brasileira desde 2003, destacando mudanças em três áreas: 1) a redução da vulnerabilidade externa, com a melhora da conta externa do País; 2) o controle dos preços, com índices de inflação decrescentes; 3) adoção de um ajuste fiscal "rigoroso" que deu sustentabilidade à dívida pública.

Agencia Estado,

03 Abril 2006 | 19h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.