Não ampliar perfuração de petróleo pode custar aos EUA US$2,4tri

A economia norte-americana vai perder 2,4 trilhões de dólares nas próximas duas décadas caso o governo decida não permitir a perfuração de petróleo e gás natural em áreas restritas em terra e em outras no mar anteriormente fechadas para empresas de energia, de acordo com um novo estudo divulgado nesta terça-feira.

REUTERS

16 de fevereiro de 2010 | 11h50

O relatório, preparado pela Associação Nacional de Comissários de Regulação de Empresas de Serviço Público, também afirma que as importações de petróleo produtos derivads e gás natural dos Estados Unidos devem aumentar em 1,6 trilhão de dólares no mesmo período sem o acesso a essas reservas.

Mais especificamente, os EUA teriam que pagar à Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) 607 bilhões de dólares por 4,1 bilhões de barris extras de petróleo que seriam necessários, segundo o relatório.

Interdições do Congresso e do presidente à perfuração em grande parte das águas norte-americanas no oeste e centro do Golfo do México venceram em 2008, e o Departamento do Interior agora avalia se deve expandir a exploração em uma pequena parte das áreas antes interditadas.

(Reportagem de Tom Doggett)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODS, PETROLEO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.