Marcelo Camargo/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil

ESG

Coluna Fernanda Camargo: É necessário abrir mão do retorno para fazer investimentos de impacto?

Não dá para soltar fogos com o PIB, mas é um certo alívio, diz secretário do Tesouro

Mansueto Almeida defendeu a reforma tributária como uma das medidas para estimular o crescimento do País

Lorenna Rodrigues e Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

29 de agosto de 2019 | 12h25

BRASÍLIA - O secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, disse que o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre, com alta de 0,4% em relação aos primeiros três meses do ano, foi melhor que o esperado. "O resultado foi o dobro do que a maioria dos analistas esperava", avaliou. "Não dá para soltar fogos com o resultado do PIB de um semestre, mas o resultado é um certo alívio."

PIB Brasil 2019

Mansueto lembrou que o País passou por dois anos seguidos de queda de PIB. "O Brasil está em uma recuperação muito lenta, mas a magnitude da recessão pela qual passamos não tem paralelo na nossa história", repetiu.

O secretário defendeu a reforma tributária e outras reformas como medidas para estimular o crescimento do País. "O resultado melhor de PIB deixa todos nós mais otimistas, tem que fazer dever de casa", acrescentou.

Mansueto destacou que a taxa de juros está no menor patamar da história (a Selic está em 6% ao ano), com grande impacto na dívida brasileira, que em sua maior parte é de curto prazo. "Vamos ter um ganho enorme na conta de juros neste ano. Só aí teremos um ganho fiscal importante", destacou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.