carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

''''Não deixaremos a crise atravessar o Atlântico''''

Com essas palavras, Lula diz que vai cobrar de Bush a resolução da crise financeira provocada pelo mercado imobiliário dos Estados Unidos

Lisandra Paraguassú, O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2018 | 00h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem, na Espanha, que quando se encontrar com o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, vai cobrar pessoalmente a resolução da crise financeira iniciada há cerca de um mês. Em uma conferência de imprensa, ao lado do primeiro-ministro espanhol José Luis Zapatero, Lula afirmou que não teme a crise e nada o assusta.''''Eu vou encontrar com meu amigo Bush agora no dia 24 e vou dizer: ''''Bush, resolva o problema da crise porque não deixaremos ela atravessar o Atlântico e chegar ao território brasileiro'''''''', afirmou. ''''Eu não costumo trabalhar com medo premeditado. Ninguém me assusta na terra. E, portanto, eu não tenho nenhum medo e tenho muita certeza que essa crise não irá afetar o Brasil'''', assegurou.A avaliação positiva foi compartilhada por Zapatero, em tom mais ameno, mas também culpando os Estados Unidos pela crise. ''''Espanha e Brasil estão com uma força econômica evidente e uma solidez das suas instituições financeiras muito forte. A Espanha está preparada para o que podem ser ajustes do mercado financeiro como conseqüência de uma gestão inadequada do mercado imobiliário de um país que é a primeira potência econômica do mundo'''', afirmou. ''''O Brasil se preparou para isso e a Espanha também. Então mantenho uma confiança muito sólida nas expectativas econômicas dos dois países.''''A Espanha é o segundo maior investidor estrangeiro no Brasil, com mais de US$ 35 bilhões. Mas, ao contrário do Brasil, o país tem tido problemas com o mercado imobiliário, a ponto de o governo prometer um fundo para ajudar famílias a pagar as prestações da casa própria, temendo que uma crise no setor se alastre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.