Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Não deixe a empresa roubar o seu sono

Quando as responsabilidades do empresário Jorge Torres aumentaram, seu sono diminuiu. Em 2000, ele decidiu transformar o restaurante de comida chinesa da família na rede de franquias China House - e passou a dormir mal pelos próximos seis meses.

O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2011 | 03h06

"Antes das franquias, meu trabalho era, digamos, mais braçal. Eu trabalhava e pronto", conta Torres. "Mas quando o processo de expansão começou, as preocupações cresceram e eu tive de assumir uma postura mais estratégica, lidando com problemas maiores."

Por isso, ao deitar, Torres continuava pensando na empresa. Nas duas ou três horas seguintes, não pegava no sono de jeito nenhum. De manhã, como resultado da noite mal dormida, apareciam as dores no corpo e o cansaço.

"O trabalho é um dos principais geradores de estresse, especialmente para os homens", afirma Dalva Poyares, neurologista e especialista em distúrbios do sono. "Por isso, problemas na empresa podem atrapalhar muito o sono."

É normal que as preocupações às vezes provoquem noites mal dormidas. Ficar alerta é um mecanismo de defesa do organismo. Mas para pessoas geneticamente predispostas a ter insônia, o estresse constante pode desencadear a doença.

Em casos graves, as noites em claro podem até ser um sintoma da síndrome de burnout - doença caracterizada por um comportamento autodestrutivo, no qual o profissional violenta sua saúde ao trabalhar. "Empresários, por terem um grau elevado de responsabilidade e viverem sob pressão, são suscetíveis a apresentar esse quadro", destaca Dalva.

Para amenizar os fatores causadores de estresse - e da falta de sono -, a médica sugere que o empreendedor tente reduzir a dimensão dos seus problemas. "Nem tudo é tão grave assim", enfatiza. "O empresário precisa ter calma para lidar com as dificuldades e saber reconhecer seus limites, tornando suas metas possíveis."

Para o neurologista Luciano Ribeiro, do Instituto do Sono da Universidade Federal de São Paulo, a dedicação excessiva à empresa cobra um preço alto. "Quem transforma o trabalho na razão de viver não tem tempo para mais nada. Por isso, pode ficar sedentário, obeso, estressado, e assim prejudicar sua saúde física e emocional", afirma. "Perder o sono é só uma das consequências desse comportamento." Ribeiro enfatiza que, para recuperar o sono, é preciso buscar o equilíbrio.

Esporte

O empresário Jorge Torres voltou a dormir justamente quando decidiu cuidar não apenas do negócio, mas também do seu bem estar. Voltou a praticar, três vezes por semana, o esporte que mais gosta: a natação. E levou a família junto. "Enquanto nado, a minha cabeça se esvazia. Saio renovado", afirma. Hoje, a China House tem 16 lojas e, como todo negócio, continua a trazer preocupações. Mas Torres pega no sono antes de pensar nelas. C.D.

Estresse causado por

problemas no trabalho

pode desencadear

uma insônia crônica

no empreendedor

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.