"Não estamos num vôo curto", diz Palocci sobre economia

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci,afirmou, nesta quarta-feira, na reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), que o Brasil está vivendo um processo sólido de crescimento econômico. "Não estamos num vôo curto", afirmou. O ministro lembrou também que, no cenário atual, está ocorrendo uma melhora das condições de emprego e previu que, em 2004, haverá um crescimento de cerca de 2 milhões de postos de trabalho, acompanhado por um bom comportamento das contas externas. Segundo o ministro, o governo conseguiu promover uma redução dos juros dos empréstimos bancários, sem nenhum sacrifício do sistema, mas apenas pela adequação dos contratos e pela concessão de garantias de recebimento efetivo do valor emprestado. "Fizemos isto sem precisar fixar ou tabelar juros", disse. O ministro ressaltou as alterações feitas pelo governo nos contratos para o financiamento habitacional, que já resultaram numa reversão da tendência de queda da construção civil, verificada ao longo dos últimos 20 anos. Outro destaque feito por Palocci foi que o governo deverá encaminhar uma proposta para melhorar o sistema de garantia da livre concorrência. A idéia, segundo o ministro, é fazer com que as análises de aquisições e fusões sejam feitas antes da efetivação do negócio. Ele lembrou que, hoje, a análise desses processos leva entre dois anos e dois anos e meio e, geralmente, ocorre após a aquisição ou fusão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.