Não há data para MP que reduzirá IR sobre fundos, diz Bernardo

Equipe da Fazenda tem aconselhado Mantega a reduzir tributação só quando detectar migração de recursos

Renata Veríssimo, da Agência Estado,

21 de maio de 2009 | 10h57

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, informou nesta quinta-feira, 21, que ainda não tem data para o envio da medida provisória (MP) que reduzirá a cobrança do Imposto de Renda (IR) sobre os rendimentos dos fundos de investimento.

 

Veja também:

especial Confira o impacto da tributação sobre os rendimentos da poupança

especial Entenda a tributação sobre os rendimentos da poupança

especial Entenda o que está por trás das mudanças na poupança

 

Apesar do anúncio do governo, feito na semana passada, da proposta de tributar parte da poupança de valor superior a R$ 50 mil com o objetivo de torná-la menos atrativa para investimentos especulativos, a equipe do Ministério da Fazenda tem aconselhado o ministro Guido Mantega a só reduzir a tributação dos fundos de investimento no momento em que detectar algum movimento migratório desse tipo de aplicação para as cadernetas de poupança.

 

Economistas têm afirmado que a redução do IR só será necessária com uma queda da taxa Selic de juros para menos de 9,5% ao ano. O governo ainda terá que encaminhar ao Congresso um projeto de lei alterando as regras de rentabilidade da poupança a partir de 2010.

 

Ao participar, em Brasília, do programa Bom Dia, Ministro, do sistema Radiobrás, Bernardo reafirmou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que "a poupança é sagrada" e continuará servindo para proteger a economia de quem acredita na poupança. O ministro reafirmou que 95% dos poupadores não devem ser atingidos pelas novas regras de tributação sobre os rendimentos acima de R$ 50 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.