‘Não há manipulação’, garante Lupi sobre dado de emprego de dezembro

Pela primeira vez, Ministério do Trabalho incorpora dados enviados pelas empresas empregadoras com atraso dentro da divulgação de um ano

Célia Froufe, da Agência Estado,

18 de janeiro de 2011 | 14h55

O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, garantiu nesta terça-feira, 18, que a mudança da contabilização dos números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em dezembro, visa a uma melhoria da qualidade das informações. Pela primeira vez, o MTE incorporou dados enviados pelas empresas empregadoras com atraso dentro da divulgação de um ano. "Não há manipulação: o dado é o mesmo, a metodologia é a mesma", afirmou o ministro.

Geralmente, essa informação extra vem com os dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), em meados do ano seguinte. Pelos dados apresentados pelo ministro hoje, os números contam com as atualizações de números atrasados de janeiro e novembro. Os de dezembro ainda não foram fornecidos e devem puxar o número para baixo. A manobra contábil feita até agora possibilitou ao ministro entregar o cumprimento da meta de geração líquida de empregos (já descontadas as demissões) em 2010. Sem a incorporação desses dados, o saldo de emprego em 2010 seria de 2,136 milhões.

"Não antecipei por causa da meta. E nunca disse sobre prazos (de divulgação de dados)", afirmou durante coletiva de imprensa. Segundo ele, se aguardasse para divulgar os números gerais, somados aos da Rais, que incluem também o total de servidores públicos, também chegaria a esses números. A previsão de Lupi é a de entregar os números da Rais em 31 de maio. "E eu diria que a meta foi cumprida com os dados todos", afirmou. "Não sou homem dado a maquiagens", ironizou. 

Tudo o que sabemos sobre:
CagedempregoLupi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.