REUTERS/Joshua Roberts
REUTERS/Joshua Roberts

Não haverá mais crises como a de 2008, diz presidente do FED

Janet Yellen, que dirige o banco central dos EUA, afirmou que sistema financeiro está agora muito mais 'seguro e saudável'

O Estado de S.Paulo

27 Junho 2017 | 17h32

O sistema financeiro norte-americano está muito mais "seguro e saudável" após a crise financeira de 2008, afirmou nesta terça-feira, 27, a presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Janet Yellen.

A dirigente notou que as medidas tomadas após a quebra do Lehmann Brothers, incluindo a imposição de posições de capital muito mais robustas para os bancos e a realização de testes de estresse mais rigorosos, deixou o sistema mais resistente. Uma outra crise do tipo "é improvável ao longo de nossas vidas", prosseguiu.

Em evento realizado pela Academia Britânica, Yellen notou que os modelos econômicos são apenas parte do material utilizado pelos dirigentes na formulação da política monetária. 

"O Fed usa os resultados dos modelos para ajudar a prever o comportamento da economia", explicou, acrescentando que informações como conversas com outros agentes do sistema financeiro.

A presidente da instituição também voltou a repetir que o Fed vai reduzir seu balanço de forma bastante gradual e previsível e que os mercados parecem ter assimilado essa informação. "Não vejo nenhuma reação significativa ao anúncio (da redução do balanço)", disse.

Ainda em relação a possíveis novas crises, a dirigente afirmou que a instituição não mira determinados preços de ativos, apenas no duplo mandato de inflação e emprego. Por outro lado, ela observou que os preços dos ativos são importantes para a saúde do sistema financeiro de forma mais geral.

Questionada sobre sua relação com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, Yellen preferiu não comentar o assunto. Apenas notou que o governo atual demonstra "um sólido respeito" pela independência do Fed e que se encontra constantemente com o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin.

Mais conteúdo sobre:
Janet Yellen

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.