coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Não hesitaremos em tomar novas medidas, diz Kuroda

O presidente do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), Haruhiko Kuroda, reiterou que o banco central japonês não hesitará em fazer ajustes em sua política monetária se surgirem riscos que dificultem que a economia atinja a sua meta de inflação de 2%.

AE, Agencia Estado

20 de março de 2014 | 06h57

Segundo Kuroda, a flexibilização em grande escala realizada em abril do ano passado produziu efeitos sobre a economia e sobre os preços.

"É necessário atingir a meta de inflação de 2% com a maior brevidade de tempo possível para que o Japão possa encerrar o ciclo de 15 anos de deflação e não volte mais", afirmou Kuroda a um grupo de líderes empresariais e executivos da Câmara de Comércio e Indústria do Japão.

O banco central japonês tem evitado medidas adicionais, mas as expectativas persistem de que o BOJ vai realizar uma nova rodada de flexibilização no final de 2014 para apoiar a economia. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
japãobolkuroda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.