''Não podemos permitir que a direita use o imigrante como o mal da nação''

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou duramente ontem a campanha dos partidos de direita na Europa contra os imigrantes. "Não são os imigrantes os responsáveis pela crise, não são os pobres no mundo", afirmou, na reunião da Organização Internacional do Trabalho (OIT), em Genebra. "Quem causou a crise foram os países ricos." A xenofobia vem recrudescendo na Europa após a explosão do desemprego. As medidas anti-imigração se multiplicaram. Partidos de direita passaram a ganhar eleições com a promessa de barrar a entrada de estrangeiros, que estariam tirando o trabalho da população local. Esse discurso foi o responsável pela vitória da direita nas últimas eleições para o Parlamento Europeu. Na Itália, o governo Berlusconi chegou a propor a suspensão da distribuição de vistos de trabalho. O Reino Unido passou a exigir título de mestrado aos candidatos a um visto de entrada. Na Espanha, 40% dos imigrantes estão já sem trabalho, ante a média nacional de 18%."Não podemos permitir que a direita use o trabalhador imigrante como se fosse o mal da nação. Em algumas campanhas políticas, o maior instrumento da direita é dizer que vai diminuir a imigração", disse Lula. "Só neste ano, 50 milhões de trabalhadores poderão perder o emprego. Alguns tentam transferir o ônus da crise para os mais fracos, e aí aparece a face oculta e cruel da globalização. Cresce a xenofobia e os trabalhadores imigrantes se tornam os bodes expiatórios. A comunidade internacional não pode permitir isso." Em discurso no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, também ontem, Lula fez o mesmo alerta. "Os responsáveis pela crise não são os imigrantes, mas os mesmos que durante séculos sabiam como ensinar a administrar os Estados. Sabiam ter ingerência nos países pobres da América Latina e da África. E esses mesmos senhores, que sabiam de tudo um tempo atrás, hoje não sabem mais nada, não conseguem explicar como davam tanto palpite nas políticas dos países pobres e não têm sequer uma palavra para analisar a crise nos países ricos", disse ele. Lula apontou o Brasil como exemplo de política de imigração. "No Brasil, acabamos de legalizar centenas de milhares de imigrantes ilegais. Foi para dar uma resposta aos que querem encontrar os responsáveis pela sua própria desgraça", disse, acrescentando que " nunca viu sindicalista brasileiro fazendo discurso contra imigrante".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.