´Não se expulsa nem se expropria ninguém´, diz Morales

O presidente da Bolívia, Evo Morales, assegurou neste domingo perante o Parlamento Europeu que a com nacionalização dos hidrocarbonetos em seu país não "se expulsa ninguém, nem se expropria ninguém". "Qualquer empresa que investiu em meu país tem todo o direito a recuperar seu investimento e as utilidades, mas não o controle. Serão sócios, não donos de nossos recursos naturais", disse, em sessão solene no plenário da Eurocâmara.Em seu discurso, o líder boliviano explicou a nacionalização como uma forma de prevenir a imigração econômica de latino-americanos à União Européia (UE). "Para que haja segurança jurídica é necessário que haja previdência social", completou o presidente boliviano.Além disso, Morales arremeteu "contra alguns meios de comunicação" que, segundo sua opinião, querem confrontar seu governo com o de outros países, entre eles, o brasileiro, por conta da decisão de nacionalizar o petróleo e o gás.Coca Por outro lado, o presidente boliviano defendeu a distinção entre a produção de folha de coca e o narcotráfico. "Os primeiros países a industrializar a folha de coca foram os europeus", afirmou.Morales pediu o apoio da UE para que o ex-presidente boliviano Gonzalo Sánchez de Lozada e o ex-ministro da Defesa Carlos Sánchez Berzaín, acusados de genocídio no país andino e que residem nos Estados Unidos, "sejam julgados na Bolívia".Admiração O presidente boliviano expressou sua "admiração" pela União Européia, mostrou seu compromisso com a "integração na América Latina" e apostou em formar entre os dois continentes "uma aliança estratégica pela vida".Morales foi recebido com várias salvas de palmas e eurodeputados postos de pé nas fileiras dos grupos de esquerda, enquanto apenas alguns membros do Partido Popular Europeu, entre eles seu presidente, Hans Gert Poettering, e o espanhol José Ignacio Salafranca, assistiram à sessão.

Agencia Estado,

15 de maio de 2006 | 15h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.