Não se justifica taxar estrangeiro em renda fixa, diz Meirelles

Segundo presidente do Banco Central, País aproveita fluxo de dólares para recompor e aumentar suas reservas

Reuters,

29 de maio de 2009 | 16h05

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, reiterou nesta sexta-feira, 29, que não é justificável taxar os investimentos estrangeiros em renda fixa neste momento com o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

 

Veja também:

especialEntenda a trajetória de valorização do real

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise   

 

Segundo ele, os ingressos de dólares no País estão concentrados em investimento estrangeiro direto e aplicações na Bovespa. Além disso, acrescentou Meirelles, grande parte do movimento observado no mercado cambial é uma "depreciação do dólar ante outras moedas".

 

"Não devemos nos antecipar nas conclusões", disse a jornalistas em São Paulo. "Estamos aproveitando o momento para recompor e aumentar as reservas (internacionais) para que o Brasil saia mais forte da crise."

 

Às 15h55, o dólar caía 1,6% e era cotado a R$ 1,976. Assim, a moeda norte-americana caminha para fechar maio com a maior queda mensal desde abril de 2003.

 

Mais cedo, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, negou a intenção de reaplicar o IOF sobre investimentos externos em renda fixa depois de os principais jornais do País terem publicado que o governo estudava essa medida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.