finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Nos últimos 12 meses, o iene valorizou-se cerca de 5% em relação ao dólar. Isso tem ajudado na expansão de empresas japonesas no exterior. Muitas têm vindo para o Brasil; e o Zénsho Group é uma delas. "Somos uma das maiores redes de restaurantes do Japão", diz Takashi Takayama, diretor da rede no Brasil. Aqui, a empresa inaugurou sua primeira loja (com a bandeira Sukiya) no ano passado e pretende chegar a pelo menos 100 em três anos.

24 de outubro de 2011 | 03h04

No Japão, o Zénsho Group é maior que o McDonald's?

Não. Juntando todas nossas mais de 20 bandeiras - dentre elas a Sukiya, de comida cotidiana japonesa - temos 1,6 mil restaurantes mo Japão e um total de 4 mil no mundo. O McDonald's tem 3.275 restaurantes em território japonês.

Quantas lojas vocês têm no Brasil?

Temos quatro, todas em São Paulo. No fim do mês, inauguramos mais uma, no Tatuapé. Até agora, investimos R$ 17 milhões no País. Nossa meta é ter 100 lojas, todas próprias, em três anos. Tudo em um raio de 100 quilômetros a partir da capital.

Por que só em torno da capital?

Porque vendemos uma comida tradicional japonesa. Não temos sushi e sashimi. É a comida que o japonês come normalmente: ensopados de carne com arroz. Preferimos ficar nessa área porque nosso primeiro público são as pessoas que já moraram no Japão ou jovens descendentes. Em seguida, os brasileiros, que gostam muito de experimentar novidades. Eles provam e voltam várias vezes aos restaurantes.

E se o iene se desvalorizar?

Estamos aqui independentemente do câmbio. A meta da empresa, que deve fechar 2011 com vendas de US$ 4,7 bilhões, é crescer fora do Japão, em países como o Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.