Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Não tenho dúvida de que podemos crescer 5% em 2010, diz Lula

Presidente enxerga uma 'revolução silenciosa' no País, com melhora da autoestima da população após a crise

Daniela Milanese, da Agência Estado,

05 de novembro de 2009 | 11h48

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quinta-feira, 5, em Londres, que "não tem dúvida" de que o Brasil poderá crescer 5% em 2010. Ele avalia que está ocorrendo uma "revolução silenciosa" no País, em razão da melhora da autoestima da população e conquista da cidadania, por meio de projetos como o "Luz para Todos" e o crédito consignado. "Nem nós brasileiros temos a dimensão do que está acontecendo no País", disse a executivos e empresários na capital britânica, em seminário sobre o Brasil.

 

Veja também:

linkBrasil será 5ª maior economia do mundo até 2020, diz Lula 

 

Lula voltou a fazer uma avaliação positiva sobre o desempenho do País em meio à crise e avaliou que a turbulência internacional não teria chegado a proporções tão grandes se as autoridades tivessem tomado as medidas necessárias. Para ele, se o governo dos EUA tivesse impedido a quebra do Lehman Brothers, a situação não teria ficado tão complicada. "Estávamos habituados a achar que o mercado resolveria tudo, mas há coisas que o mercado não tem como resolver porque não é o seu papel", disse. "Não é papel do mercado fazer política social, isso é o Estado que tem de fazer."

 

O presidente contou que haverá outro seminário para divulgar o Brasil no exterior em dezembro, na Alemanha. "De lá, queremos fazer no mundo inteiro até que as pessoas descubram o Brasil."

 

O evento em Londres, organizado pelos jornais Financial Times e Valor, acaba de ser encerrado com o discurso de Lula. Também participaram, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, além de diversos executivos de empresas nacionais e estrangeiras.

Tudo o que sabemos sobre:
Lulaeconomia2010

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.