Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

''Não vou tomar nenhuma atitude''

Para ministro, venda da Varig ocorreu em um processo de falência, de responsabilidade do Poder Judiciário

João Domingos, O Estadao de S.Paulo

05 de junho de 2008 | 00h00

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, recusou-se ontem a comentar a declaração da ex-diretora da Anac Denise Abreu de que a Casa Civil favoreceu o comprador da Varig. Para ele, o governo não tem nada a ver com o processo, que correu no Judiciário.Como o sr. viu as revelações da ex-diretora da Anac de que a Casa Civil favoreceu o comprador da Varig? Isso foi um processo judicial, que se produziu no Judiciário. O ministério não tem conhecimento de nada. Eu não participei de absolutamente nada disso. E não tem por que o governo ter participado, por isso é uma medida exclusivamente sob a gerência do juiz titular da Vara relativa à falência da Varig. Eu não conheço o assunto. Tem que buscar lá nos autos. O sr. vai se inteirar disso? Não me diz respeito.Que atitudes o sr. vai tomar contra a ex-diretora Denise Abreu?Não vou tomar nenhuma atitude a esse respeito. Mas isso envolve a Anac.Não envolve a Anac coisa alguma. Isso envolve exatamente a venda judicial. Isso foi conduzido pelo Poder Judiciário. É tudo da área deles. O sr. não vai avaliar a participação da Anac? Não vou avaliar coisa nenhuma.Se comprovado o tráfico de influência, o que o sr. vai fazer?Cada coisa no seu tempo. Você está pressupondo alguma coisa que não aconteceu. Então não vou examinar o que não aconteceu.Mas pode abalar o mercado.Não acredito nisso.A oposição quer uma CPI.CPI é a moda. Tudo é CPI hoje em dia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.