Nasdaq derruba Bolsa e Copom surpreende

Num dia que se esperava ser somente de espera pelo resultado da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), as bolsas nos Estados Unidos despencaram e a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) foi contaminada, fechando em forte queda de 4,66%. O Dow Jones - Índice que mede as ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em queda de 2,51% às 17:37, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York -, em queda de 7,12%. O resultado da reunião do FED - banco central dos Estados Unidos -, que indicou uma reversão na tendência das taxas de juros, que a partir de agora passa a decrescente, mas sem reduzi-las imediatamente trouxe certo pessimismo. É que as empresas continuam divulgando resultados decepcionantes, provocando queda no valor das ações, num ambiente de declínio das taxas de crescimento da economia. Num futuro próximo, cortes nos juros podem aumentar o otimismo dos investidores.Há pouco o Comitê de Política Monetária (Copom) divulgou o resultado da última reunião mensal do ano. A Selic, taxa básica referencial da economia, foi reduzida em 0,75 ponto porcentual, uma queda pouco maior que o esperado pelo mercado. A maioria das apostas dos investidores era de uma queda de meio ponto porcentual. Nos próximos dias, pode-se esperar um ajuste nas cotações, em função da decisão, surpreendente, embora não radical. Como o anúncio foi feito após o fechamento dos mercados, as cotações de hoje ainda não refletem o impacto da medida, mas afetados pelas quedas em Nova York. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia pagando juros de 17,190% ao ano, frente a 17,040% ao ano ontem. O dólar fechou em R$ 1,9610, com alta de 0,41%.Leia, nas próximas matérias, mais a respeito da decisão do Copom.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.