Nasdaq e Cesp animam mercados

Os mercados brasileiros viveram hoje um dia de euforia, puxados pela alta da Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York -, que fechou em alta de 10,47%, e das perspectivas de privatização da Cesp Paraná. O anúncio de desistência das últimas empresas concorrentes ao leilão só foi feito após o fechamento dos mercados. Por fim, o Merril Lynch divulgou relatório favorável ao Brasil, ampliando os investimentos no País, reforçando a euforia dos investidores.O presidente do FED - banco central norte-americano - discursou hoje pela manhã. Afirmou que não acredita que a economia dos EUA esteja sofrendo um processo de desaceleração excessivo, mas que, mesmo assim, vê as condições para uma redução nas taxas de juros no futuro. O mercado avalia que o movimento de corte possa se iniciar em março próximo. Com isso a Nasdaq disparou, puxando os mercados no mundo inteiro. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em alta de 4,97%, também estimulada por outros fatores. A maior definição do quadro sucessório nos EUA, pendendo para George Bush, também ajuda a tranqüilizar os investidores.A privatização da Cesp Paraná, que prometia trazer pelo menos R$ 1,7 bilhões ao Brasil em dólares, animou os operadores. Desde ontem vinham sendo anunciadas desistências, mas após o pregão foram anunciadas as últimas desistências. A pergunta dos investidores é sobre que efeito isso terá no mercado amanhã. É possível que a euforia de hoje sofra reversão significativa. O dólar fechou em R$ 1,9570, com queda de 1,11%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia pagando juros de 17,950 % ao ano, frente a 18,230% ao ano ontem. Além disso, existe uma certa tranqüilidade em relação aos dois países emergentes em crise, Argentina e Turquia. As melhores perspectivas da economia norte-americana estimularia os países emergentes. Ontem, o ministro da economia argentino, José Luiz Machinea, anunciou que se o Senado aprovar o orçamento de 2001 até quinta-feira, o acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) é anunciado na segunda-feira. E o governo turco anunciou a divulgação do seu acordo com o FMI na quarta-feira.

Agencia Estado,

05 de dezembro de 2000 | 18h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.