Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Natal com muitas promoções de shoppings

As ações promocionais realizadas pelos shopping centers para atrair os consumidores às vésperas do Natal ganharam reforço especial este ano. Preocupados com o fraco desempenho obtido em 2001, os lojistas resolveram investir milhões na elaboração de campanhas, aumentando em até 30% o total de recursos destinados a divulgação de ofertas, distribuição de prêmios e decoração, acirrando ainda mais a disputa por clientes nos centros comerciais.Um dos shoppings de São Paulo que mais investiu em ações para este fim de ano foi o Morumbi Shopping. Ao todo foram gastos R$ 4,5 milhões em decoração e numa megacampanha realizada em conjunto com a São Paulo Alpargatas, para a distribuição de uma série exclusiva de Havaianas, com estampas criadas especialmente para a ocasião. "Investimos 30% a mais em relação ao ano passado e esperamos um aumento de 11% nas vendas", diz a superintendente do shopping, Doris Weinberg.A Rede Plaza, formada pelos shoppings Paulista, West Plaza e Plaza Sul, também aposta no crescimento do consumo neste Natal. "Nos dois últimos fins de semana, as vendas já cresceram 20%", afirma o diretor da rede, Marco Antônio Charro. O grupo investiu R$ 2,5 milhões em campanhas e decoração. A expectativa agora é de que o volume de negócios seja 10% superior ao do mesmo período do ano passado.Outros shoppings ampliaram os investimentos para este Natal. O Iguatemi gastou R$ 2,5 milhões em ações promocionais, com a expectativa de aumento de 7% nas vendas. O Shopping Pátio Higienópolis apostou na decoração natalina e investiu R$ 2,2 milhões. Center Norte, Eldorado, Interlagos, Anália Franco, Shopping Metrô Tatuapé, ABC e o Centro Comercial Leste Aricanduva gastaram aproximadamente R$ 1,5 milhão cada.De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), Nabil Sahyoun, o total de recursos direcionados para promoções e campanhas cresceu entre 12% e 15% em relação ao ano passado. As vendas, no entanto, podem ficar bem abaixo do esperado por alguns lojistas. "O volume de negócios deve ser 2% superior ao registrado no último Natal."Sahyoun diz que o aumento da taxa de juros e a alta do dólar não devem ter grande impacto sobre o varejo neste fim de ano. Segundo ele, a expectativa é de que os consumidores aproveitem as promoções desta época, embalados pela chegada do 13.º salário, que deve injetar R$ 30 bilhões no mercado. "Natal é sempre uma data forte e os shoppings estão encontrando soluções criativas para atrair o público."

Agencia Estado,

28 de novembro de 2002 | 10h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.