Natal: dicas para a gorjeta

Com as festas de final de ano, uma das tradições é a doação de caixinha carteiros, lixeiros e entregadores de jornal. De acordo com a consultora de etiqueta e professora do Serviço Nacional do Comércio (Senac), Janir Jurado Fraga, não há limites para o valor da gratificação, mas há uma regra básica para gorjetas em qualquer época: "Nunca a gorjeta pode ser inferior ao valor de um café ou de uma passagem de ônibus."Janir cita alguns valores que seguem a mais rígida norma de etiqueta na hora da gratificação. De acordo com ela, para os lixeiros, é de "bom tamanho" dar R$ 5 para cada um - cada caminhão tem cerca de três funcionários - ou R$ 10 por caminhão, para que os trabalhadores dividam.Para os guardas noturnos, um bom valor é R$ 10, pois "eles não recebem 13.º salário e sempre esperam um prêmio nesta época do ano". No caso do carteiro e do entregador de jornal e revista, Janir considera razoáveis R$ 5 para a gorjeta. "Se eles ganharem R$ 5 de cada casa, receberão um bom presente de fim de ano."Levando-se em conta três lixeiros e os outros prestadores de serviços, gasta-se cerca de R$ 35 só com gorjetas. Para outros profissionais, como manicures, cabeleireiros, frentistas do posto de combustível e funcionários do condomínio, Janir diz que, dependendo da proximidade com a pessoa, é preferível dar um presente a dinheiro, pois é mais delicado. Para manicures e cabeleireiras, vale de camisas, blusas, canetas e echarpes a perfumes e bijuterias. "Elas detestam coisa para a casa. Elas gostam de poder usar o presente. Dar maquilagem também é muito bom nesse caso."No caso dos frentistas e funcionários do prédio, por exemplo, valem panetones, vinhos ou champanhes, além de cestas de Natal. "Para os porteiros, por exemplo, com quem se tenha mais afinidade, vale dar um valor extra, mas na maioria das vezes cada apartamento dá um valor pré-determinado." Quem ficar constrangido em entregar dinheiro para a pessoa, pode fazer isso com um envelope e um cartão. "Fica simpático."A consultora lembra, no entanto, que é muito simpático levar um prato da ceia para o zelador que estiver trabalhando nas noites de Natal e Ano Novo. "Mas não vale dar restos. Logo antes de iniciar a ceia, separe um bom prato para ele."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.