Natal fraco nos supermercados em 2005

Os supermercados esperavam um crescimento de 4% nas vendas de dezembro do ano passado, mas o resultado veio muito abaixo. De acordo com dados da Associação Brasileira dos Supermercados, as vendas do setor apresentaram uma queda real de 3,84% no mês do Natal, na comparação com mesmo período do ano anterior. Na comparação com novembro, houve elevação de 34,84% e, no acumulado do ano, o crescimento das vendas foi de apenas 0,66%, em valores reais. Ou seja, todos os resultados deflacionados pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) - índice oficial de inflação calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).O aumento das vendas em dezembro, na comparação com o mês anterior, já era esperado. Isso porque o mês conta com as vendas para as festas de final de ano. A sazonalidade de dezembro (Natal e Ano Novo) faz com que dezembro seja, tradicionalmente, o melhor mês de vendas para o setor. Contudo, o resultado de dezembro na comparação com o mês anterior foi decepcionante para o setor.Já os preços do setor apresentaram queda de 5,52% em 2005, de acordo com o Abras Mercado. Trata-se de uma apuração com base em uma cesta de 35 produtos de largo consumo - alimentos (incluindo cerveja e refrigerante), higiene, beleza e limpeza doméstica. PerspectivasEm 2006, a associação estima crescimento nas vendas reais no intervalo entre 2,5% e 3%."Esperamos um desempenho próximo do obtido em 2004, quando registramos acréscimo real de 2,57%", afirma o presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), João Carlos de Oliveira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.