Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Natal será o melhor da década para o varejo

As vendas à vista cresceram 16,2% na primeira quinzena de dezembro  

Francisco Carlos de Assis, da Agência Estado,

16 de dezembro de 2010 | 13h46

As vendas à vista cresceram 16,2% na primeira quinzena de dezembro em comparação com o mesmo período de 2009, segundo dados divulgados hoje pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Já as vendas a prazo tiveram alta de 10,9% na mesma base de comparação. Para o presidente da entidade, Alencar Burti, tanto as vendas de Natal como o ano de 2010 serão os melhores da década para as vendas de varejo. "Como havíamos previsto várias vezes nos últimos meses", afirmou Burti.

As vendas à prazo do comércio varejista devem encerrar 2010 com um crescimento de 10,3%, segundo a associação. As vendas à vista devem crescer 8,1%, refletindo a expansão do crédito e o crescimento da massa salarial. A entidade lembra que a base fraca de comparação em 2009 e o dólar baixo, que estimulou as importações, acabaram beneficiando o consumidor final. Os economistas da instituição destacam que o crescimento das vendas à vista superam as vendas a prazo em função do forte aumento da renda dos trabalhadores que recebem o 13º salário.

Ainda de acordo com a associação, os registros recebidos de carnê em atraso apresentaram uma queda de 3,5% na primeira quinzena de dezembro em relação ao mesmo período de 2009. Já os registros de cancelamento (carnês quitados ou renegociados) apresentaram forte alta de 16,3%. De acordo com os analistas da entidade, este movimento foi beneficiado pelo crescimento do emprego formal e da abundância de crédito para renegociar dívidas em atraso.

Ao longo de 2010, os registros recebidos (carnês em atraso) ficaram praticamente estáveis, com ligeira alta de 0,3%. Já os registros cancelados tiveram elevação anual de 8%, beneficiados pela recuperação do emprego formal e pela maior oferta de crédito, que permitiu renegociar as dívidas em atraso.

Consultas

As consultas feitas ao Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) registraram 32,3% de crescimento na primeira quinzena de dezembro relativamente aos primeiros quinze dias de novembro, de acordo com a ACSP. As consultas para vendas pagas com cheques aumentaram 42,4% na mesma base de comparação.

Os técnicos da entidade destacam que essa alta tem caráter sazonal, gerada pelas vendas de Natal. Mas quando comparado com a primeira quinzena de dezembro de 2009, o crediário cresceu 37,4% e as consultas sobre cheques cresceram também 42,6%, sugerindo que na margem o crediário sofreu alguma desaceleração em comparação com o ano passado, quando não havia medidas macroprudenciais.

Falências

Os indicadores econômicos do Instituto de Economia Gastão Vidigal da ACSP mostram que em dezembro de 2010 foram requeridas 12 falências de empresas do setor do varejo. Esse número representa uma queda de 57,1% em relação à dezembro de 2009 (que fechou em 28), mas mostram um crescimento de 33,3% sobre as nove falências requeridas em novembro deste ano.

Já as falências decretadas somaram 3 em dezembro e ficaram 50% abaixo das seis decretadas em dezembro de 2009 e 40% inferiores aos 5 decretos registrados em novembro passado. As concordatas requeridas somaram 5 em dezembro contra 2 em dezembro do ano passado e 1 em novembro deste ano. As concordatas deferidas em dezembro foram 3 contra 1 em dezembro de 2009 e uma em novembro passado.

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
comérciovarejofalênciasACSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.