Nathor faz recall de 30 mil bicicletas infantis

A empresa identificou defeitos nos freios e nas rodinhas

Mel Bleil Gallo, especial para O Estado de S.Paulo,

31 de outubro de 2013 | 03h24

As famílias que compraram bicicletas da marca Nathor para crianças devem ficar atentas: a fabricante anunciou ontem o recall de aproximadamente 30 mil bicicletas para crianças de 3 a 8 anos, produzidas em 2011. A empresa identificou defeitos nos freios e nas rodinhas (estabilizadores laterais).

Os consumidores devem entrar em contato por meio do telefone 0800 713 8100 ou do site www.nathor.com.br, e solicitar o envio das peças e instruções para regulação dos freios. "Os ajustes são bem simples e serão explicados por telefone. Caso haja alguma dificuldade, nós vamos recomendar que o consumidor leve o produto a uma bicicletaria", disse Andréa Valmorbida Eger, do Departamento de Vendas da Nathor. No entanto, a empresa não prevê reembolso para serviços mecânicos.

O procedimento pode ser irregular, de acordo com o diretor de Fiscalização do Instituto de Defesa do Consumidor (Procon) de São Paulo, Marcio Marcucci. "A empresa não pode transferir a responsabilidade de reparo e os custos para o consumidor. O recall existe justamente para evitar um acidente. O consumidor precisa de um documento e da garantia técnica de que o procedimento foi feito de forma adequada. Muitas vezes a orientação pelo telefone não é suficiente", explicou.

Marcucci sugere que a empresa credencie locais especializados para atender o público, em todas as cidades onde as bicicletas foram comercializadas. O Procon ainda não recebeu o Relatório Inicial de Campanha, que deve ser enviado aos órgãos de defesa do consumidor, pelas empresas que realizam recalls.

De acordo com o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), a Nathor recebeu duas notificações em 2012, pedindo explicações sobre as irregularidades e, em seguida, a retirada do produto do mercado, acompanhada do recall. No dia 12 de setembro de 2013, a Nathor decidiu anunciar o recall, em reunião com o Inmetro e a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.