Natura inicia produção na Argentina até o fim do ano

Empresa também prevê dar início à produção terceirizada no México e na Colômbia no ano que vem

Rodrigo Petry, O Estado de S.Paulo

22 de outubro de 2010 | 00h00

A Natura começa até o fim deste ano a fabricação terceirizada de parte de seu portfólio de produtos na Argentina. A companhia já formou um grupo com executivos locais e montou um escritório em Buenos Aires.

A produção inicial será focada na linha de perfumes, mas a ideia é ampliar o mix de produtos nos próximos meses, segundo o vice-presidente de Finanças e Jurídico da Natura, Roberto Pedote. "Esperamos obter benefícios econômicos, com a redução de custos, e ambientais, com a menor emissão de gases na exportação dos produtos a partir do Brasil", diz.

Segundo Pedote, a empresa já mantém conversas avançadas com parceiros para terceirizar, a partir de 2001, a produção também no México e na Colômbia. Ele acrescentou que este modelo deverá reduzir as despesas com vendas, ampliando a rentabilidade destas operações, e acelerar o crescimento do número de consultoras nestes países. "Vamos colocar em prática estratégias de marcas e de categorias de produtos diferenciadas para cada país", afirma.

Nas operações consideradas consolidadas pela companhia no exterior, na Argentina, no Chile e no Peru, houve um acréscimo de 19,7% no total de consultoras no terceiro trimestre, que chegou a 129,4 mil colaboradoras. Já nos países com as operações em implementação - México e Colômbia -, o número chegou a 54,5 mil consultoras, um avanço de 36,2%. Incluindo o Brasil, a Natura registrou a marca de 1,170 milhão de consultoras, o que representa um crescimento de 18,4% sobre o terceiro trimestre de 2009. A empresa também atua por meio de distribuidores na Bolívia e em países da América Central.

Orientadoras. Após a implementação da produção local terceirizada, a companhia vai levar aos países da América Latina um modelo "adaptado às culturas locais" da Consultora Natura Orientadora (CNO). Essas profissionais estão posicionadas entre as gerentes de relacionamentos, ligadas à empresa, e as tradicionais consultoras, que fazem a venda porta a porta. "Em dois anos, todos os países terão o modelo CNO", afirma Pedote.

A Natura apresentou um lucro líquido consolidado de R$ 191,7 milhões no terceiro trimestre, uma alta de 0,8% em comparação ao mesmo intervalo do ano passado. A geração de caixa, medida pelo Ebitda, atingiu R$ 323,5 milhões (alta de 18%). Já a receita líquida subiu 21,5%, para R$ 1,281 bilhão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.