Natura quer terceirizar produção em mais 3 países da América Latina em 2011

Sem citar países, presidente da companhia disse esperar que medida reduza os custos de transporte, a exposição cambial e a emissão de carbono nas operações de envio dos produtos ao exterior 

Rodrigo Petry, da Agência Estado,

22 de julho de 2010 | 11h17

A Natura pretende terceirizar a produção de parte do portfólio de produtos em mais três países da América Latina em 2011, disse nesta quinta-feira, 22, o vice-presidente de Finanças e Jurídico da companhia, Roberto Pedote, em teleconferência com jornalistas.

A empresa anunciou na quarta-feira, 21, que até o final deste ano iniciará a produção terceirizada em um dos países em que atua. As principais operações internacionais da Natura são as atividades diretas na Argentina, Chile, Peru, México, Colômbia, além da atuação por meio de distribuidores na Bolívia e na América Central.

O executivo evitou comentar quais são os países, alegando que a companhia está em fase de negociação com os parceiros internacionais. "Hoje 100% da nossa produção vem do Brasil", afirmou.

Ele disse esperar que a terceirização reduza os custos de transporte, a exposição cambial e a emissão de carbono nas operações de envio dos produtos ao exterior. Segundo ele, a maior presença na América Latina deverá resultar em ganhos de fatia de mercado nestes países.

Segundo ele, a Natura já conta com um escritório em Buenos Aires, na Argentina. Pedote ressaltou ainda que a produção terceirizada será de apenas parte do portfólio, de forma gradual, sem dar detalhes do porcentual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.