Divulgação
Divulgação

Navio ecológico reduz em 40% a emissão de gás carbônico

Embarcação tem bico 'perfurador de onda' e sistema de propulsão combina hélice e leme

05 de junho de 2013 | 18h01

SÃO PAULO - A Rolls-Royce plc, empresa britânica que atua nas áreas de energia, aviação, naval e defesa, entregou esta semana o seu primeiro navio ecológico.

A embarcação emite 40% menos dióxido de carbono que as embarcações comuns do mesmo porte. O navio, batizado de Eidsvaag Pioner, foi adquirido pela empresa norueguesa Eidsvaag AS e deverá entrar em serviço nos próximos dias.

Segundo a Rolls-Royce, o motor movido a gás natural liquefeito (GNL) emite 17% menos gás carbônico em relação aos motores que utilizam diesel.

Além disso, o navio dispõe de uma proa do tipo "perfurador de ondas", um eixo gerador híbrido que aumenta o rendimento no uso de energia e um sistema de propulsão que combina hélice e leme.

O conceito de navio ecológico também pretende reduzir em 90% as emissões de óxido de nitrogênio e tornar insignificantes as de óxido de enxofre.

O presidente da Rolls-Royce na América do Sul, Francisco Itzaina, afirmou que o único modo de reduzir significativamente as emissões e o custo de combustível é a combinação de tecnologias inovadoras em um só projeto. "O navio ecológico faz isso e é parte de um sistema de propulsão altamente eficiente", disse em nota distribuída à imprensa.

Outras duas embarcações de carga com o conceito ecológico foram encomendadas pela empresa norueguesa Nor Lines. O primeiro deles está em construção na China. Navios para transporte de passageiros com o mesmo conceito também estão em fase de desenvolvimento.

A Rolls-Royce emprega 45 mil funcionários em mais de 50 países, entre eles o Brasil. Em 2012, faturou R$ 39,9 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.