MARCOS ARCOVERDE | ESTADÃO CONTEÚDO
MARCOS ARCOVERDE | ESTADÃO CONTEÚDO

Navio sul-coreano carregado de minério da Vale corre risco de naufrágio no litoral do Maranhão

Situação é monitorada pelo Ibama e pela mineradora, que enviou rebocadores para o local, a cerca de 100 quilômetros da costa de São Luís

André Borges, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2020 | 15h52

BRASÍLIA - Um grande navio de transporte de minério corre risco de naufrágio no litoral do Maranhão. A informação foi confirmada ao Estadão/Broadcast pelo Ibama, que monitora a situação, e pela mineradora Vale, que dá suporte técnico e operacional no local, com o envio de rebocadores.

A embarcação é de propriedade e operada pela empresa sul-coreana Polaris. Como operadora portuária, a Vale está atuando com suporte técnico-operacional, com o envio de rebocadores, e colaborando com as autoridades marítimas."

Segundo o site Marine Traffic, o navio MV Stella Banner com carregamento de minério da Vale adernou a cerca de 100 quilômetros do porto de Itaqui, no Maranhão, de onde saiu, com destino ao porto de Qingdao, na China, onde era esperado para chegar no dia 4 de abril. O navio, com bandeira das Ilhas Marshall, tem 340 metros de comprimento e capacidade de transportar 300 mil toneladas de minério e foi construído em 2016.

Por meio de nota, a Vale confirmou que foi comunicada pelo operador do navio MV Stellar Banner, de que a embarcação sofreu uma avaria na proa, após deixar o Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, em São Luís (MA).

O acidente ocorreu na noite de segunda-feira, 24, já fora do canal de acesso ao porto. Segundo informações da Vale, por medida de precaução, os 20 tripulantes que estavam no navio foram evacuados com segurança.

Para evitar o naufrágio, o comandante do navio adotou uma manobra de encalhe, a cerca de 100 quilômetros da costa de São Luís. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.