Negociação de contratos com petrolíferas é adiada na Bolívia

A negociação entre o governo da Bolívia e as petrolíferas para a negociação de novos contratos foi adiada por três meses, até o término de uma auditoria nos investimentos realizados pelas companhias, anunciou nesta sexta-feira o ministro boliviano dos Hidrocarbonetos, Andrés Solíz."Estamos falando de um período de três meses", até contar com o resultado do estudo, "para ter outros três (meses) destinados à negociação dos contratos", avaliou Solíz, em entrevista em La Paz.O Executivo boliviano, presidido pelo socialista Evo Morales, decretou no último dia 1º a nacionalização dos hidrocarbonetos (gás e petróleo) e concedeu prazo de seis meses às multinacionais do setor petrolífero para adequar seus contratos às novas regras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.