Negociação entre petroleiros e Petrobras continua sem acordo

Mais uma vez, Petrobras e Federação Única dos Petroleiros (FUP) não conseguiram chegar a um acordo sobre o reajuste salarial da categoria. Em reunião realizada ontem na sede da estatal, a FUP reafirmou à empresa a rejeição da categoria à última proposta feita.A estatal, por sua vez, manteve sua posição e disse que não fará nova contra-proposta. Os petroleiros, no entanto, ainda não chegaram a consenso sobre a realização de uma greve.A FUP sequer chegou a dar um prazo para que a Petrobras apresente nova proposta. A entidade trabalha agora para unir a categoria em torno da realização da greve.A idéia dos sindicalistas é controlar a produção de petróleo e derivados por cinco dias, mantendo apenas o mínimo necessário, como forma de pressionar a empresa a rever sua proposta. A paralisação estava inicialmente marcada para começar hoje, mas foi adiada por falta de consenso.NegociaçõesA Petrobras propõe um reajuste de 12,1%, próximo aos 13,2% pedidos pela categoria. Mas não estende o aumento aos aposentados, que ganhariam só a reposição da inflação no período, de 7,81%.Além disso, diz a FUP, não atendeu outras solicitações a respeito das condições trabalhistas e ao fundo de pensão de seus empregados, a Petros. Os petroleiros agora decidem sobre os novos passos da mobilização, que perdeu força com a proposta apresentada pela empresa há duas semanas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.