Negociação vai definir retomada de rotas pela Varig

Os passageiros que têm bilhetes da Varig terão que torcer, nesta semana, pelo bom desfecho das negociações entre a empresa e as arrendadoras de leasing das suas aeronaves. Neste domingo, 23, o presidente da companhia aérea, Marcelo Bottini, disse que a retomada de novas rotas de vôos dependerá do desfecho das negociações em curso com essas arrendadoras, que determinaram o cancelamento de operação de aeronaves da empresa. Ele disse que a resposta sobre a possível permissão para que as aeronaves retomem as operações deve sair na segunda-feira, 24. Bottini disse também que a Varig atenderá "dentro do possível" a determinação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) de retomada imediata de 13 rotas da empresa. "Estamos negociando com a Anac, mostrando a eles que não depende de nós", disse Bottini.Segundo o executivo, desde sábado a empresa retomou alguns vôos domésticos e vôos internacionais para Miami, Frankfurt e Londres. "Vamos tentar aumentar isso", garantiu. De acordo com a assessoria de imprensa da Varig, "a retomada dos vôos vai demorar o tempo necessário para que se consiga os aviões para fazer as rotas programadas".A Varig e a Anac não informam quantos aviões da empresa estão em operação. A Varig tem 60 aeronaves, incluindo as que estão paradas por causa do custo de manutenção ou determinação judicial. Até a última quinta-feira, dia do leilão da empresa, 13 aeronaves estavam em operação.Ainda de acordo com a assessoria da Varig, a empresa manterá o mesmo procedimento em relação aos passageiros que têm bilhetes para localidades que não estão sendo atendidas: embarcá-los em vôos de outra companhia aérea ou em próximos vôos da própria Varig ou de outra empresa.A assessoria garantiu que a empresa está cumprindo as rotas a que se comprometeu na última sexta-feira: Frankfurt, Miami e Nova York (esses dois destinos em dias alternados) e Londres, além de Caracas e Buenos Aires. No mercado doméstico, Rio-Recife-Fernando de Noronha, São Paulo (Guarulhos)-Fortaleza e São Paulo-Manaus, em dias alternados. A ponte aérea Rio-São Paulo também está sendo mantida.Já a assessoria da Anac disse que a retomada de vôos cancelados não ocorre de forma imediata e a expectativa da agência é que a Varig retome todas as rotas determinadas a partir de segunda-feira. Fiscais da Anac, ainda segundo a assessoria, estão nos aeroportos para checar se está sendo cumprida, pela Varig, a regra de fornecer hospedagem e alimentação para passageiros que esperem por mais de quatro horas nos aeroportos.Na última sexta-feira, a Anac rejeitou o pedido da Varig para suspender todos os vôos domésticos e internacionais até 28 de julho, com exceção da ponte aérea Ri0-São Paulo. A agência recomendou que os usuários da Varig que não forem atendidos guardem notas fiscais para cobrar da companhia aérea eventuais prejuízos sofridos com o cancelamento dos vôos. Nesta semana, a Varig deverá divulgar a lista de demitidos da empresa. A expectativa é que pelo menos 8 mil dos cerca de 10 mil funcionários sejam dispensados. A empresa também deverá anunciar a nova diretoria. A ex-presidente da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) está sendo cotada para o cargo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.