Negócios com câmbio na Argentina só reabrem segunda-feira

A estréia do mercado livre de câmbio marcada para hoje foi adiada para segunda-feira, assim como a permissão para que os salários possam ser retirados em sua totalidade das contas bancárias. A decisão do Banco Central foi adotada ontem à noite mas a Agência Estado já havia adiantado a informação no meio da tarde. A justificativa para a manutenção do feriado cambial e bancário parcial é de que o BC não teve tempo hábil para redigir as normas e suas regulamentações pertinentes à flexibilização do "corralito", à pesificação e à instituição do novo tipo de câmbio no país.Além disso, o BC justifica que os bancos necessitam também de tempo para adaptação à estas normas. Neste período, os bancos reabrem suas portas somente para o pagamento de aposentadorias e pensões, saques obedecendo os limites, pagamentos de serviços públicos, depósitos e transferências.Os bancos públicos e privados da capital federal não poderão vender, nem comprar dólares para evitar "a distorsão da compreensão da população de que está comprando seus próprios dólares nos bancos onde possuem contas", explicou uma fonte do ministério de Economia. Porém, no interior da Argentina, a operação será permitida dada a ausência de casas de câmbio.EntrevistaO ministro argentino da Economia, Jorge Remes Lenicov, concederá, durante a manhã, uma entrevista coletiva aos correspondentes estrangeiros no país. No encontro com os jornalistas, Lenicov vai comentar as recentes medidas econômicas adotadas.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.