Negócios com o Exterior têm 1º saldo positivo em 10 anos

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, comunicou hoje ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que, "pela primeira vez em dez anos, o Brasil obteve saldo trimestral positivo nas transações correntes entre o País e o exterior". A conta de transações correntes registra, além da balança comercial, o resultado das operações com serviços, o que inclui pagamento de juros da dívida, viagens internacionais, remessas de lucros e dividendos e também as chamadas transferências unilaterais. Os números não foram divulgados.A melhora na conta de transações correntes vem ocorrendo desde que o governo começou a política de flutuação da taxa de câmbio, em 1999, tendo se intensificado nos últimos meses. Com o real mais fraco, as exportações ficam mais competitivas e despesas com importações e viagens ao exterior, por exemplo, tendem cair. Em fevereiro, segundo o Banco Central, o déficit havia sido de US$ 197 milhões, o melhor resultado para o período desde fevereiro de 1994.Mesmo com o superávit do primeiro trimestre, o governo não aposta num resultado positivo para 2003. A última previsão do BC para 2003 apontava para um déficit de US$ 4,2 bilhões neste ano nas contas correntes. A redução do saldo negativo torna o País menos dependente recursos externos, como empréstimos e investimentos diretos, para fechar as contas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.