bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Nervosismo continuará por mais alguns dias, prevê Piva

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Horácio Lafer Piva, afirmou que o nervosismo do mercado deverá continuar por mais dois ou três dias, devido aos constrangimentos criados tanto pelas mudanças de regras feitas pelo Banco Central (BC) nos fundos de renda fixa quanto pelo "estresse eleitoral", devido à elevação do risco Brasil por causa da possibilidade de a oposição vencer as eleições de outubro. "Aqui no Brasil somos sempre muito ciclotímicos, costumamos dar muita importância para o que está acontecendo na hora", disse. Piva previu, no entanto, que os efeitos se dissiparão nas próximas semanas. Ele não concordou com a maneira que o BC promoveu as mudanças nas regras dos fundos de renda fixa. "Certamente deveria ter feito isso no momento em que disse que iriam vigorar as novas regras. Ou então que respeitasse o prazo inicialmente acordado", afirmou.Segundo o dirigente da Fiesp, não se pode "deixar de reconhecer uma pitada de estresse eleitoral nessa crise". "Muito mais pela falta de compreensão dos agentes externos em relação à força da democracia brasileira", completou. O presidente da Fiesp participou durante toda a manhã de hoje de encontro, no Palácio dos Bandeirantes, com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), o secretário de Ciência e Tecnologia, Ruy Altenfelder, e cerca de 50 executivos de empresas grandes exportadoras instaladas no Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.