finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Nestlé ainda confia em aprovação da compra da Garoto

A Nestlé ainda confia em que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) reconsidere sua decisão de vetar a compra da fábrica de Chocolates Garoto, ao julgar o novo recurso administrativo (embargos de declaração) apresentado ontem pela empresa ao órgão de defesa da concorrência. Em uma nota distribuída nesta tarde, a multinacional suíça afirma que "o esclarecimento das contradições, obscuridades e omissões resultantes de equívocos de ordem processual pode levar o Cade a rever sua posição".Em outro ponto do texto, a direção da empresa afirma que continua convencida de que a "aquisição é perfeitamente factível sob ponto de vista concorrencial" e informa que decidiu utilizar o instrumento jurídico da interposição de embargos como uma tentativa de resolver a questão ainda na esfera administrativa. No final do segundo julgamento que manteve o veto à fusão da Nestlé com a Garoto, representantes da empresa declararam a intenção de, em último caso, buscar a Justiça comum para mudar a decisão do Cade.A compra da Garoto pela Nestlé ocorreu em 2002 e, no ano passado, por duas vezes, o Cade rejeitou a operação e determinou que, no prazo de 150 dias, o negócio seja desfeito. Esse prazo começou a contar na quinta-feira, dia 3, quando a decisão final (acórdão) foi publicada no Diário Oficial. Ontem, a Nestlé apresentou ao Cade embargos quanto ao acórdão, o que automaticamente suspende a contagem do prazo até que o conselho julgue o novo recurso.

Agencia Estado,

10 de fevereiro de 2005 | 16h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.