Nestlé lança nova fase de expansão no Nordeste

A Nestlé, maior empresa de alimentos do mundo, vem adotando nos últimos meses uma política de regionalização de sua estratégia no Brasil e, na semana que vem, inaugura uma nova fábrica em Feira de Santana (BA).Para os executivos da multinacional suíça, os resultados da política da empresa para diferenciar sua estratégia para o Nordeste estão sendo positivos. Em 2006, as vendas nos mercados dos Estados da região aumentaram em um ritmo duas vezes mais rápido que no restante do País.A inauguração da nova planta está marcada para a próxima semana e contará com a presença inclusive da ministra da Economia da Suíça, Doris Leuthard. Ela ainda se reunirá com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para debater oportunidades de investimentos de empresas suíças no Brasil.A Nestlé ainda procurou a diplomacia brasileira nos últimos dias na Suíça para apresentar seu novo plano. A realidade é que o Nordeste se transformou em um dos principais motores do crescimento no País.Segundo a empresa, as taxas de aumento de vendas são duas vezes superiores nessa região que a média brasileira. Desde o ano passado, a companhia adotou a estratégia de regionalizar as vendas no Brasil, com o objetivo de tratar de forma diferenciada o mercado do Nordeste.Com produtos adaptados ao consumo local, em embalagens modificadas e sistemas de distribuição novos, as vendas aumentaram em 2006 em mais de 10% no Nordeste, contra um crescimento real no resto do País de 5% a 6%. No total, os investimentos da Nestlé em sua estratégia no Nordeste somam mais de US$ 100 milhões. A nova fábrica, portanto, servirá para expandir ainda mais a atividade da multinacional na região.Em 2006, as taxas de aumento de vendas no País ficaram acima da média mundial da empresa. No geral, a Nestlé apresentou um crescimento de vendas no mundo nos nove primeiros meses do ano de 9,1%. Mas se for descontado os aumentos de preços dos produtos e a relação do câmbio, o crescimento real é de 4,6%, totalizando US$ 56,9 bilhões e dentro das expectativas dos mercados.EmergentesO Nordeste faz parte de uma estratégia da Nestlé de conquistar novos mercados em países emergentes. Com o mercado americano e europeu dando sinais de que crescerão menos em 2007, os executivos da multinacional contam com os mercados em desenvolvimento para sustentar as taxas de crescimento de vendas da empresa.Nessa aposta, Ásia, América Latina, Oriente Médio e África têm papel relevante. Os mercados emergentes, que representavam 21% das vendas da empresa em 2003, passam a responder por 25% dos negócios em 2006.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.