Divulgação
Divulgação

Nestlé monta mercado flutuante na Amazônia

Barco com cerca de 300 produtos da marca vai navegar pelo rio Pará, passando por 18 cidades do Estado para atender a população ribeirinha

Naiana Oscar, de O Estado de S. Paulo,

17 de junho de 2010 | 20h05

A intenção de ampliar o alcance da marca entre famílias de baixa renda e, de certa forma, até inacessíveis fez a Nestlé chegar à região norte do País num "supermercado flutuante". O barco com cerca de 300 produtos da marca vai navegar pelo rio Pará, passando por 18 cidades do Estado para atender a população ribeirinha. O projeto custou R$ 1 milhão e foi ideia do próprio presidente da companhia Ivan Zurita. A iniciativa faz parte do programa "Nestlé até você".

Segundo estimativa da empresa, o barco deve receber cerca de 800 mil pessoas por mês. Ele vai ficar parado um dia em cada cidade. "É praticamente um supermercado mesmo, porque temos produtos em todas as categorias de alimento: de papinha para criança, passando por matinais, sorvetes, até ração para cachorro", disse Alexandre Costa, diretor de regionalização da Nestlé Brasil. No barco, envelopado com a logomarca da empresa, só vai oferecer produtos próprios.

O supermercado flutuante foi inaugurado nesta quinta-feira no porto de Belém. O projeto pode ser estendido a outras regiões ribeirinhas nos próximos meses, mas ainda não há previsão de que cidades devem receber o projeto. Esse ano, o Bradesco também começou uma operação "flutuante" nessa região do País.

Desde 2001, a Nestlé vem desenvolvendo medidas voltadas para as classes C, D e E, que representam 82% do consumo de alimentos no Brasil. A regionalização é uma delas. A empresa também vem lançando produtos e criando estratégias de venda voltadas para esse público, que incluem até o porta-a-porta.

Em 2006, a empresa começou a trabalhar com o treinamento de representantes de venda oriundos de comunidades carentes. A Nestlé passou a contratar pessoas de classes mais baixas, que moram em regiões de baixa renda e ajudam a alcançar os consumidores desse nicho. Esses vendedores são chamados de microdistribuidores. "Começamos com seis pessoas e hoje já são 220", disse Costa.

Faturamento

A companhia investe cerca de R$ 40 milhões em projetos sociais. No ano passado, a multinacional teve um faturamento de R$ 16,5 bilhões, com 30 fábricas espalhadas pelo País. A empresa produz 1,4 milhão de toneladas de alimentos por ano e emprega diretamente 17.670 pessoas e indiretamente 220 mil funcionários. Nesse segmento, a Nestlé Brasil é o 2º mercado em volume. A companhia é a maior empresa mundial de alimentos e bebidas.

Tudo o que sabemos sobre:
NestléAmazôniamercado flutuante

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.