Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Neva em Buenos Aires e a crise energética se complica

Depois de 89 anos, voltou a nevar em Buenos Aires durante esse domingo, antecipando uma semana crítica no que diz respeito à crise energética na Argentina. Ninguém esperava que a onda de frio polar pudesse provocar uma nevada na capital federal e em várias cidades do interior.O espetáculo da neve levou os argentinos a abandonarem o refúgio de suas casas aquecidas para assistir à queda dos flocos brancos que cobriu carros, gramas e edifícios. As crianças brincaram como se estivessem em uma estação turística de neve. Mas se para o público a nevada foi um show que mereceu milhares de fotos, festas e até bonecos de neve, para o governo foi um péssimo sinal.O instituto de meteorologia projeta temperaturas abaixo de zero grau para toda a semana, levando o país ao pior momento da crise energética que o governo não reconhece. Haverá mais cortes de gás e de eletricidade para as indústrias que já são obrigadas a parar por oito horas diárias devido à falta de energia.O Chile também sofrerá com menores exportações de gás da Argentina. Diante do recrudescimento do inverno, a Casa Rosada emitiu na segunda o primeiro pedido à população para que poupe energia.Mantendo sua postura de não admitir a existência de uma crise no país, Alberto Fernández, o Ministro Chefe do Gabinete presidencial, disse que "todos devemos ser cuidadosos com o consumo de energia porque o problema não é da Argentina, mas de todo o continente".

Marina guimarães, da Agência Estado

10 de julho de 2007 | 10h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.