carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Nevasca esfria fim de temporada de compras nos EUA

Apesar do mau tempo nos últimos dias, estima-se que as vendas de fim de ano aumentem significativamente em comparação a 2009 e representem o melhor número em três anos

Reuters,

27 de dezembro de 2010 | 13h44

Uma forte tempestade de neve na Costa Leste dos Estados Unidos afastou muitas pessoas dos shopping centers um dia depois do Natal, atrapalhando o ato final da temporada de compras de fim de ano.

Estima-se que as vendas de fim de ano aumentem significativamente em comparação a 2009 e representem o melhor número em três anos. O tempo bom durante a maior parte do período entre o feriado do Dia de Ação de Graças, de 25 de novembro, e o Natal também ajudou.

As condições meteorológicas do fim de semana, que provocaram o fechamento de aeroportos e interromperam o trânsito, também podem indicar o fim do apetite dos consumidores pelos próximos meses.

As pessoas que fizeram compras indicaram que estavam prontos para um aperto nos cintos no começo de 2011, enquanto esperam que a recuperação econômica dos EUA ganhe força e crie empregos.

Clyde Johnson, operador de trem de 45 anos de Yonkers, Nova York, fazia compras no domingo numa loja da J.C. Penney Co Inc em Manhattan, mas afirmou que pararia de comprar assim que o feriado terminasse.

"Se eu não posso pagar por algo ou perceber que é demais e de fato querer algo, eu economizarei até ter dinheiro", afirmou ele.

Os vendedores norte-americanos tentam aumentar as vendas nos dias depois do Natal dos consumidores que voltam para devolver produtos ou buscar seus vale-presentes.

A administradora de shoppings Taubman Centers Inc disse que uma série de shopping centers operados por ela registraram pouco movimento por causa da tempestade, que deixou espessa camada de neve em Nova York e outras grandes cidades da Costa Leste, e rumava para New England.

Por exemplo, o shopping Taubman's Northlake Mall de Charlotte, na Carolina do Norte, registrou pouco movimento no domingo até que as vias fossem liberadas, informou a operadora. O movimento também foi afetado por que o dia depois do Natal caiu em um domingo.

Por Phil Wahba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.