‘New York Times’ defende escolha de Janet Yellen para comandar o Fed

Jornal defende a economista por sua experiência tanto na teoria como na prática da política monetária

Altamiro Silva Júnior, correspondente da Agência Estado,

30 de julho de 2013 | 16h21

NOVA YORK - O jornal New York Times defendeu em editorial nesta terça-feira a indicação de Janet Yellen para substituir Ben Bernanke na presidência do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) em 2014. "É claramente a melhor escolha", destaca o jornal norte-americano.

Yellen era praticamente a favorita para suceder Bernanke até há alguns dias, quando ganhou peso o nome de Lawrence Summers, ex-secretário do Tesouro no governo do presidente Bill Cliton e ex-reitor da prestigiada universidade de Harvard. "Sammuers não é a melhor pessoa para o cargo", avalia o Times em seu principal editorial do dia.

A publicação argumenta no editorial que Summers tem defensores fortes dentro da administração de Barack Obama, formados sobretudo por um grupo de economistas ligados a Robert Rubin, antigo secretário do Tesouro de Clinton e presidente do Citigroup, e por Timothy Geithner, este ex-secretário do Tesouro da administração de Obama. O grupo, além de ter influência na Casa Branca, também circula com facilidade na elite financeira de Wall Street, o que tem ajudado a espalhar o nome de Summers como possível candidato, destaca o Times.

Para o jornal norte-americano, Yellen tem uma combinação perfeita de habilidades acadêmicas e experiência na elaboração de políticas econômicas. Ou seja, conhece tanto a teoria quanto a prática da política monetária. O editorial destaca a experiência dela no Fed desde o começo dos anos 90 e também cita uma carta enviada a Obama por um grupo de senadores democratas, na qual eles argumentam que ela é a melhor escolha para o cargo.

Já sobre Summers, o editorial faz críticas a decisões importantes atribuídas a ele e a Rubin, como a de não regular com mais peso o mercado de derivativos e a de não defender mais estímulos econômicos em 2009. Summers era assessor econômico de Obama.

O mandato de Bernanke termina em janeiro de 2014. Segundo a imprensa norte-americana, Obama não deve anunciar sua decisão até setembro.

Tudo o que sabemos sobre:
fed

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.