finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Nicarágua pode ser líder regional em biocombustíveis, diz Lula

Em artigo no jornal 'La Prensa', presidente diz que tradição do país no cultivo de cana faz dele forte candidato

BBC Brasil, BBC

08 de agosto de 2007 | 06h52

"A grande tradição nicaragüense de cultivo da cana-de-açúcar e de oleaginosas tropicais fazem deste país um forte candidato para liderar esta iniciativa pioneira na América Central", diz artigo assinado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no jornal La Prensa, da Nicarágua, nesta quarta-feira, 8, referindo-se ao desenvolvimento de biocombustíveis. "Os biocombustíveis podem ocupar um lugar importante em uma estratégia global de desenvolvimento e de preservação do meio ambiente", diz o artigo, divulgado no momento em que o presidente visita o país. "Por isso, o governo brasileiro e nossos empresários ofereceram cooperação e tecnologia a todos os nossos aliados. Temos buscado alianças triangulares com países desenvolvidos, para aumentar o fluxo de recursos para novos projetos na América Central e no Caribe." O artigo diz que "os programas de combustíveis renováveis, como o etanol e o biodiesel, oferecem uma alternativa energética verdadeiramente revolucionária". E, entre as vantagens enumeradas no texto, estão "garantia de segurança energética e alimentar, com amplos benefícios econômicos, sociais e ambientais".     "A indústria do etanol já criou diretamente 1,5 milhão e indiretamente 4,5 milhões de postos de trabalho no Brasil", escreveu Lula. "A expansão da cana também contribuiu para recuperar áreas de pastagens degradadas, de baixo ou nenhum potencial agrícola." No artigo, também é lembrada a luta dos dois países para o combate à pobreza. "É do que nossos países necessitam: medidas concretas que ajudem a eliminar a opressão da fome e da pobreza, das imensas desigualdades e da falta de horizontes. Dando esperanças de uma vida melhor a nossas populações, estaremos honrando a memória de homens como Sandino, Carlos Fonseca Amador e tantos outros que deram sua vida pela liberdade e pela igualdade." A proximidade ideológica de Lula com o presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, também é lembrada no La Prensa.  "Todos sabem da grande estima que tenho por meu amigo Daniel Ortega, com quem há mais de 20 anos compartilho lutas e ideais", disse. "A decisão brasileira de perdoar a dívida bilateral da Nicarágua deve ser vista como expressão de solidariedade, mas também como crédito de confiança."     BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
jornaislulaetanolnicarágua

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.