seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

No 1º trimestre, 55% das empresas lucram menos ou têm prejuízo

Segundo levantamento do 'Broadcast', só cinco empresas que tiveram prejuízo em 2012 reverteram a situação

EULINA OLIVEIRA, O Estado de S.Paulo

16 de maio de 2013 | 02h10

Os números do primeiro trimestre de 2013 divulgados pelas empresas de capital aberto até agora confirmam que, apesar dos ajustes que vêm sendo feitos desde o ano passado, como cortes de custos e redução de investimentos, os resultados em geral continuam fracos, refletindo o ritmo lento de crescimento da economia global.

Levantamento feito pelo Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, com balanços de 137 empresas mostra que 53, ou 38,7% do total, registraram queda no lucro líquido ante o primeiro trimestre do ano passado, enquanto 23, ou 16,8%, reportaram prejuízo líquido na mesma comparação. Ou seja, somando as que tiveram redução do lucro com as que tiveram resultado negativo, 55,5% das empresas pesquisadas apresentaram resultados insatisfatórios de janeiro a março deste ano.

Segundo profissionais consultados pelo Broadcast, os resultados refletem o atual cenário macroeconômico, em especial a redução do consumo. "Os números reportados pelas empresas no primeiro trimestre estão dentro do esperado, com vários casos de encolhimento de lucro e alguns casos de prejuízo", diz Alvaro Bandeira, economista da Órama Investimentos. Ele cita construção e siderurgia entre os setores com desempenho mais fraco de janeiro março deste ano.

Os balanços, porém, mostram que o primeiro trimestre foi um pouco melhor que o quarto trimestre de 2012, com vários casos de redução de alavancagem. "As empresas aproveitaram o período de menor demanda para reduzir dívidas", diz Bandeira. "Muitas aproveitaram o período para reduzir custos com o objetivo de obter resultados melhores nos próximos trimestres", acrescenta.

Entre as 23 empresas que tiveram prejuízo no primeiro trimestre, dez delas, ou 43,5%, já haviam tido resultado negativo no mesmo período de 2012. Todas essas dez companhias ampliaram os prejuízos, que variaram de 15,5%, no caso da Brasil Pharma, até 455,6%, como foi o caso da OGX. Entre as companhias que lucraram no ano passado e ficaram no vermelho no primeiro trimestre de 2013 estão as incorporadoras PDG Realty e Rossi Residencial.

Alta no lucro. Apesar do cenário difícil, 56 companhias, ou 40,9% da amostra do Broadcast, tiveram lucro maior de janeiro a março, na comparação com igual intervalo de 2012. Outras cinco, ou 3,6%, saíram do prejuízo e lucrar (Fibria, ALL, Minerva, Magazine Luiza e Tecnisa). Grande parte das empresas de comércio e serviços, apesar da desaceleração da economia, ainda colhe bons resultados, mostra o levantamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.