No ano, 181 mil pessoas perderam o emprego com carteira assinada

De janeiro a maio, trabalho formal caiu 1,5% em relação ao ano passado, enquanto emprego por conta própria aumentou 2,5%

Idiana Tomazelli, O Estado de S. Paulo

25 de junho de 2015 | 11h17

RIO - O contingente de pessoas com carteira assinada diminuiu 1,5% na média de janeiro a maio deste ano em relação a igual período de 2014, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com isso, 181 mil pessoas perderam o emprego formal no período.

"Desde 2004 não havia redução no emprego com carteira assinada para a média de janeiro a maio", notou Adriana Beringuy, técnica da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE. Naquele ano, mesmo assim, a redução foi de aproximadamente 3 mil vagas formais. "São menos pessoas com as prerrogativas que o emprego com carteira oferece, como seguro-desemprego, fundo de garantia", acrescentou Adriana.

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
'Desde 2004 não havia redução no emprego com carteira assinada para a média de janeiro a maio', notou Adriana Beringuy, técnica da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Apenas em maio, o emprego com carteira recuou 1,8% ante maio do ano passado, uma redução de 213 mil vagas formais. O fechamento de postos na indústria é o principal culpado, responsável por 116 mil vagas. "A redução do emprego com carteira vem da indústria, da construção e dos outros serviços, que são setores que vêm tendo mais perda de emprego", explicou.

Por outro lado, o emprego por conta própria segue aumentando. Na média de janeiro a maio, a alta foi de 2,5%, uma diferença de 108 mil pessoas. "Boa parte dos empregos por conta própria é de pessoas ligadas a comércio ambulante, pedreiros autônomos", exemplificou a técnica.

População ocupada. A população ocupada teve, em maio, a sexta queda seguida na comparação com igual mês do ano anterior. A queda no mês passado foi de 0,7% ante maio de 2014, o que significou 155 mil demissões.

O contingente de ocupados vem diminuindo desde dezembro de 2014 no confronto interanual. "Isso está acontecendo, o ano de 2015 tem registrado ao longo de seus cinco meses pequenas reduções da população ocupada", afirmou Adriana.

A queda na ocupação e o aumento do número de pessoas em idade ativa provocou a redução do nível de ocupação para 52,2% em maio, de 53,0% em igual mês do ano passado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.