No comando da Microsoft, Nadella ganhará US$ 18 milhões

Documentos da empresa revelam que, com bônus e ações, Satya Nadella receberá esse valor no 1º ano como presidente

Gary Strauss - USA Today, O Estado de S.Paulo

06 de fevereiro de 2014 | 02h10

Satya Nadella, o recém-nomeado diretor executivo da Microsoft, vai receber um aumento considerável. O engenheiro indiano vai receber um salário de US$ 1,2 milhão, quase 80% mais do que ele recebeu como diretor de divisão em 2013, de acordo com documentos da empresa divulgados na terça-feira.

Ele também vai receber um prêmio em ações avaliadas em US$ 13,2 milhões, e pode vir a ganhar uma bonificação anual de até US$ 3,6 milhões. Ao todo, ele pode receber cerca de US$ 18 milhões por seu primeiro ano como diretor executivo, mais do que o dobro do que ele ganhou no ano passado como diretor de operações na nuvem da Microsoft.

A compensação oferecida a ele começa com um potencial prêmio em participação patrimonial com base em cinco anos de desempenho calculados a partir do ano que vem. Ligado à valorização das ações da Microsoft, esse prêmio pode valer mais de US$ 300 milhões. A Microsoft diz que Nadella poderia receber até 900 mil ações com base em seu desempenho durante "três períodos sobrepostos de cinco anos" com base no retorno pago aos acionistas.

De acordo com a documentação da Microsoft relativa a 2013, Nadella, de 46 anos, recebeu no ano passado uma compensação avaliada em cerca de US$ 7,6 milhões, incluindo US$ 669.167 em salários, US$ 1,58 milhão em bonificações e US$ 5,4 milhões em prêmios de ações desvinculadas à sua permanência na empresa. Nadella recebeu outros US$ 4,9 milhões de ações que ele já tinha ganhado. O executivo ainda é dono de outras 454 mil ações, avaliadas em US$ 15,6 milhões, que ainda não lhe pertencem definitivamente.

Antecessor. O ex-diretor executivo Steve Ballmer recebeu no ano passado uma compensação avaliada em US$ 1,26 milhão. Mas, de acordo com a documentação apresentada pela Microsoft em outubro, Ballmer possuía 333,2 milhões de ações. Ao preço de US$ 36,35 alcançado no final da terça feira, as ações de Ballmer - equivalentes a 4% do total da empresa - valem mais de US$ 12,1 bilhões.

No contexto dos planos de compensação atuais oferecidos pelas corporações norte-americanas - em especial as empresas de tecnologia -, a remuneração anual potencial de Nadella não parece tão impressionante - exceto, talvez, para os cidadãos comuns.

Em 2011, quando a Apple promoveu Tim Cook para o cargo que era de Steve Jobs, ele recebeu ações limitadas que, na época, eram avaliadas em aproximadamente US$ 376 milhões.

As contratações de talentos vindos de fora não são mais baratas. Marissa Mayer, ex-executiva do Google que o Yahoo contratou em julho de 2012, assinou um contrato que podia render a ela mais de US$ 100 milhões num período de cinco anos. Ela recebeu um prêmio adiantado de retenção avaliado em US$ 30 milhões, uma concessão em ações "a receber" avaliada em US$ 14 milhões para cobrir aquilo que ela deixou para trás ao deixar o Google, e o contrato dela estipula um prêmio anual em ações avaliadas em US$ 12 milhões.

Em 2011, a rede varejista J. C. Penney contratou o diretor de lojas e varejo da Apple, Ron Johnson, com um prêmio em ações avaliado em US$ 50 milhões. Mas a empresa demitiu Johnson antes de ele obter a posse definitiva das ações.

Nadella é apenas o terceiro presidente da história da Microsoft, seguindo-se ao cofundador Gates e a Ballmer. Ele tem 46 anos e nasceu em Hyderabad, Índia. 

 

(Tradução de Augusto Calil)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.