carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

No fim de 2005, confiança do consumidor sobe pela 1ª vez no ano

No último trimestre de 2005, a expectativa do consumidor em relação à economia do País apresentou a primeira alta do ano. De acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (INEC) mostra que a expectativa do consumidor em relação ao desempenho da economia brasileira em 2006 cresceu 2,9% - de 99 pontos no terceiro trimestre de 2005 para 101,9 pontos no último trimestre do ano passado.Segundo a CNI, depois de um ano de incertezas provocadas pela crise política vivida pelo País, esta foi a primeira alta no ano, depois de três quedas consecutivas. "Foi um avanço, já que 2005 foi um ano de frustrações nas expectativas em relação ao desempenho da economia", disse Marcelo Azevedo, economista da Unidade de Política Econômica da CNI.A própria CNI admite, no entanto, que, em geral, o INEC do quarto trimestre costuma representar um avanço em relação ao trimestre anterior, virtude das expectativas usualmente mais positivas em relação ao ano vindouro. Mesmo assim, na comparação com igual trimestre de 2004, o índice apresentou queda de 1,9%, fato atribuído pela Confederação sobretudo à piora das expectativas de evolução do desemprego.Expectativa por setorEntre os indicadores pesquisados no âmbito do INEC, aquele referente às perspectivas da economia para 2006 foi o que registrou maior aumento, com 16,3% em relação ao trimestre anterior. Segundo a CNI, o percentual se explica pelo fato de que, no terceiro trimestre do ano passado, as expectativas eram especialmente negativas.Entre os demais indicadores, o referente à renda geral apresentou crescimento de 2,7% e o referente à renda pessoal, 2%. Os dois indicadores haviam recuado durante dois trimestres consecutivos. Na comparação com dezembro do ano passado, no entanto, o índice referente à renda em geral recuou 3,7% e o referente à renda própria, 1%.Índices negativosDentre os índices negativos registrados na pesquisa, aumentou em 1,5% o pessimismo em relação à inflação para os próximos seis meses, e isto no momento em que a inflação apresenta tendências de recuo. O índice caiu de 95,3 para 93,9 pontos.No indicador segurança no emprego, registrou-se uma variação negativa de 0,7% na expectativa daqueles que temem perder seu emprego em relação ao trimestre anterior, porém um crescimento de 1,7% na comparação com dezembro de 2004. Já o índice de satisfação com a vida manteve o mesmo índice do terceiro trimestre, porém uma queda de 1,4% em relação a dezembro de 2004.Quanto às perspectivas dos consumidores quanto ao desemprego, o índice dos que esperam melhor cenário cresceu de 108,6 para 110,6 pontos, porém apresentou queda de 10,1% em relação às expectativas registradas em dezembro de 2004. Ou seja, no último trimestre de 2005 houve um aumento considerável da parcela dos consumidores que acreditam em crescimento do desemprego.

Agencia Estado,

03 de janeiro de 2006 | 16h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.