No Golfo do México, 93% da produção de petróleo está paralisada

Causa é a chegada do furacão Isaac na costa da Louisiana nesta quinta-feira

Patrícia Braga, da Agência Estado,

28 de agosto de 2012 | 16h35

HOUSTON - As petrolíferas paralisaram quase toda a sua operação de petróleo no Golfo do Mexico e dois terços da produção regional de gás natural por causa da chegada do furacão Isaac na costa da Louisiana nesta terça-feira, 27.

O Escritório de Segurança e Reforço Ambiental dos EUA, responsável pelas operações de gás e petróleo na costa americana, informou que 1,29 milhão de barris/ dia de petróleo, ou 93% da produção em águas federais do Golfo, está paralisada. Além disso, três bilhões de pés cúbicos de gás natural, ou 67% da produção de gás natural na área, foram paralisadas, e 503 das 596 plataformas de petróleo e gás da região foram evacuadas, informou a agência.

As evacuações são rotinas durante a temporada de tempestades no Atlântico, que atingem a costa do Golfo onde estão instaladas plataformas de exploração de petróleo e gás, alguns deles causando grandes estragos. Entretanto, a maioria dos observadores acredita que a passagem do furação Isaac, que recentemente passou a categoria um, com ventos de 120 quilômetros por hora, deve causar poucos danos à região.

O Isaac está cerca de 90 quilômetros do Rio Mississippi, e perto de 220 quilômetros do sudoeste de New Orleans, onde se espera deve chegar no final da tarde de hoje, informou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês).

Existem preocupações de que o Isaac possa danificar plataformas e refinarias de petróleo e gás no Golfo do Mexico e interromper a produção por tempo indeterminado. A Casa Branca informou que sempre monitora os preços da gasolina, mas não fez qualquer anúncio sobre se a possível liberação das reservas estratégicas de petróleo do país. "Como já vínhamos dizendo, todas as opções estão na mesa. Não temos nada a anunciar hoje", afirmou o secretário de Imprensa da Casa Branca, Jay Carney. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Petróleoisaacgolfo do méxicoeua

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.