BRUNO ROCHA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
BRUNO ROCHA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

No interior de SP, combustível só chega escoltado e cidades têm clima de feriado

Em várias cidades, aulas foram canceladas e transporte público continua com frota reduzida

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

28 Maio 2018 | 08h33

SOROCABA – Com algumas rodovias ainda controladas por caminhoneiros, as principais cidades do interior só estavam recebendo combustível com escolta e o abastecimento era racionado. Muitas prefeituras suspenderam as aulas e as cidades tinham clima de meio feriado. A greve dos caminhoneiros entrou no 8º dia nesta segunda-feira, 28.

Em Sorocaba, desde a noite de domingo, a Polícia Militar fez a escolta de 12 caminhões tanques, mas os postos davam preferência para abastecer veículos de policiais, funcionários da saúde e de serviços essenciais. Em três postos, motoristas passaram a noite na fila, mas o abastecimento era de R$ 50 por veículo.

Os ônibus voltaram a circular, após a chegada do combustível escoltado, mas não havia aulas na rede municipal. Em São José do Rio Preto, 100% dos ônibus estavam funcionando nesta manhã, mas a frota seria reduzida fora dos horários de pico. A Universidade Federal de São Carlos (Ufscar) suspendeu as aulas nos campi de São Carlos, Araras, Sorocaba e Buri.

+++ Com crise dos combustíveis, estabelecimentos 'fazem entrega' a cavalo

+++ Motoristas ficam 5 horas na fila para abastecer em SP

Em Campinas, um posto recebeu 70 mil litros de combustível e houve filas de seis quilômetros. Logo a reserva acabou e muitas pessoas dormiram nos carros, esperando a reabertura do posto.

+++ AO VIVO: Acompanhe em tempo real a greve dos caminhoneiros

Em Jundiaí, conforme decreto de emergência da Prefeitura, só havia abastecimento para carros de quem trabalha nas áreas de saúde, segurança e outros serviços essenciais. Em um posto que recebeu 30 mil litros com escolta, havia triagem feita por frentistas e pela Guarda Municipal. A cidade decretou ponto facultativo e não havia aulas nas escolas.

+++ Caminhoneiros mantêm bloqueios no País; saiba o que está funcionando em SP

No terminal de petróleo de Ribeirão Preto, cerca de 90 mil litros foram liberados para abastecer bases das polícias civil e militar. Mesmo assim, o aeroporto da cidade teve voos cancelados por falta de combustível.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.