No lugar do trem-bala, empresário sugere tubo de ar comprimido

Proposta foi apresentada como alternativa ao trem de alta velocidade que a Califórnia planeja construir

AP,

13 de agosto de 2013 | 17h39

LOS ANGELES - Imagine a cena: você entra numa cápsula do tamanho de um carro, prende o cinto de segurança e desliza por um tubo a mais de 1.135 quilômetros por hora.

Não se trata de um brinquedo do tipo que se encontra em parques de diversões, mas de uma alternativa de transporte para o futuro.

O empreendedor multimilionário Elon Musk revelou um novo conceito de transporte que poderia ligar Los Angeles a São Francisco em 30 minutos, a metade do tempo da viagem de avião, a 650 quilômetros por hora.

Em conferência por telefone, Musk afirmou que se tudo sair bem o projeto poderia funcionar dentro de sete a dez anos. O custo estimado do projeto é de US$ 6 bilhões, o que equivale a uma décima parte do custo de um trem-bala que a Califórnia planeja construir. 

O sistema Hyperloop de transporte entre grandes cidades é parecido com o sistema de tubos pneumáticos usado para transportar cápsulas com documentos em edifícios antigos.

Os passageiros precisam reclinar-se para uma viagem que começaria com força de aceleração igual à de um avião, e depois seguiria sem turbulência.

As cápsulas seguiriam por um tubo de grande diâmetro praticamente sem ar, e manteriam sua posição por atração magnética. O plano é o de que a cápsula flutue sobre um colchão de ar. Para reduzir a fricção, um poderoso ventilador na parte da frente extrairia o ar do tubo.

"Exceto que se descubra o teletransporte, o que seria fabuloso e espero que alguém o faça, a única opção para viagem a velocidades super altas é criar um tubo subterrâneo", escreveu Musk na sua proposta divulgada na internet.

As cápsulas poderiam sair a cada 30 segundos com 28 passageiros, a um custo projetado de US$ 20 por pessoa, segundo o plano do empresário.

Tudo o que sabemos sobre:
transporte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.