No mercado, juros recuam, dólar sobe e Bolsa cai

A produção industrial brasileira, que cresceu apenas 0,6% em novembro passado de acordo com o IBGE, provocou uma queda das taxas de juros no mercado futuro. Analistas entenderam que, com a atividade em ritmo lento e com a inflação sob controle, o Comitê de Política Monetária (Copom) terá espaço para promover um corte de 0,75 ponto porcentual na taxa Selic, a taxa básica de juros da economia, este mês.O dólar fechou em alta nesta terça-feira, depois de cinco sessões consecutivas em queda, pressionado pela queda dos juros e pela emissão de títulos da dívida feita hoje pelo Brasil. O tesouro anunciou a emissão de US$ 1 bilhão em bônus da República com vencimento em 2037, denominado Global 2037. O papel foi vendido com cupom (prêmio de juros) de 7,125% ao ano. A liquidação financeira será feita no próximo dia 18, quando os recursos captados ingressarão nas reservas internacionais brasileiras.Já a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em queda pelo segundo pregão consecutivo, de 0,81%. Mas mantém alta de 4,76% no acumulado do mês. O volume financeiro foi bom, voltando a superar os R$ 2 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.